Bate Papo com a professora da Unesp de Rio Preto Marta Kfouri

Subcoordenadora do curso de Letras, Marta afirma que metodologia é aspecto essencial para a aprendizagem de língua estrangeira, mas não o único

 

Em sua opinião, quais são as características de um bom professor de língua estrangeira? Ele deve ser nativo? Deve seguir à risca uma metodologia para alcançar bons resultados? E o ensino no Brasil, quais são os investimentos necessários?

Para responder a essas perguntas, conversamos com a Doutora em Estudos Linguísticos Marta Kfouri, que também é subcoordenadora do curso de Licenciatura em Letras da Unesp de Rio Preto. Confia:

1) Em sua opinião, de que maneira a metodologia usada pelo professor de língua estrangeira pode influenciar o aprendizado do aluno?

A metodologia do professor constitui um aspecto essencial no sucesso da aprendizagem de uma língua pelo aluno, embora não seja o único. Por meio de estratégias metodológicas adequadas, o professor pode aumentar a motivação do aprendiz, promover sua maior participação individual ou em grupo, oferecer-lhe oportunidades de buscar autonomia e de expor opiniões e dúvidas, levando-o a situações mais propícias ao uso competente da língua estrangeira que está aprendendo ou aperfeiçoando.

2) Com a tecnologia, o ensino de língua estrangeira ganhou várias facilidades. Você poderia citar alguns exemplos, explicando quais são as suas principais vantagens?

Uma das maiores vantagens da tecnologia aliada ao ensino/aprendizagem de línguas é, sem dúvida, a acessibilidade a formas e contextos que privilegiam a comunicação, seja esta oral, escrita ou visual. Com a mediação do computador, a ideia de que um aluno deve aprender línguas pensando no futuro ou do uso que fará dessa língua no futuro deixa de existir, à medida que a aprendizagem se torna algo muito mais próximo, rápido e barato. As chances de conhecer mais de uma língua estrangeira e suas nuances culturais são muito mais amplas. Tanto o professor quanto o aluno saem ganhando com o uso criativo e apropriado da tecnologia no ensino/aprendizagem de línguas.

3) Atualmente, como o ensino de línguas estrangeiras poderia se fortalecer no Brasil?

O ensino de língua estrangeira no Brasil precisa, primeiramente, de um bom investimento na formação inicial e continuada de professores de línguas. Formar professores de línguas adequadamente e dar-lhes condições para que invistam em sua carreira, em sua educação continuada, são ações fundamentais no Brasil.

4) Há quem diga que ter um professor de língua estrangeira nativo é um diferencial no aprendizado, mas também há estudiosos que dizem o contrário. Qual o seu ponto de vista em relação a isso?

Atualmente, a questão do professor nativo e não-nativo já não tem grande relevância nas discussões sobre ensino/aprendizagem de línguas ou de formação de professores de línguas. Ao contrário disso, é necessário valorizar a licenciatura, a formação do professor, o profissional professor de línguas para garantir um bom ensino de língua estrangeira.

Comente

projeto germinar Mais notícias

23 outubro

Projeto Germinar desenvolve ações com líderes da CCLi com foco em relacionamento humanizado

Líderes da CCLi receberam mentoria do Projeto para desenvolver aptidões de conviv…


Notice: Undefined variable: cacheBlock in /home/cclinet/www/wp-content/themes/ccli/single.php on line 72

Fatal error: Call to a member function end() on null in /home/cclinet/www/wp-content/themes/ccli/single.php on line 72