CCLI Consultoria Linguística Menu
Para traduzir uma obra literária, basta falar mais de um idioma?

Para traduzir uma obra literária, basta falar mais de um idioma?

 

Traduzir uma obra literária não é tão simples quanto parece. Conhecer profundamente um idioma diferente e gostar de literatura são aspectos fundamentais para o trabalho do tradutor, mas esses conhecimentos não bastam por si só. Há muitas técnicas e reflexões que o profissional da tradução deve saber para aplicar em seu texto.

Para falar mais sobre o assunto, a CCLi entrevistou o tradutor e professor da área de tradução da Unesp de Rio Preto Alvaro Hattnher, que explicou tudo sobre sua forma de trabalho. Confira:

Alvaro,  o que é a tradução literária? 

A tradução literária é, basicamente, a tradução de textos literários de qualquer gênero, seja poesia, prosa ou teatro, por exemplo, da língua em que foram originalmente escritos para qualquer outra língua. 

Quais as principais dificuldades que o tradutor literário encontra em seu trabalho?

Cada texto representa um desafio diferente para o tradutor, e as dificuldades variam imensamente. As principais estão certamente relacionadas às ocorrências de especificidades culturais e “idiomatismos”, que representam a falta de equivalência entre as palavras de uma língua e outra.

Como o profissional de tradução literária lida com esses “idiomatismos”?

Depende muito do posicionamento que o tradutor tem em relação ao ato de traduzir, mas acredito que as soluções dos problemas originam-se sempre na forma pela qual o tradutor lê/interpreta o texto a ser traduzido.

Então, o tradutor interpreta para fazer escolhas, correto? Como são feitas as reflexões para escolhas tradutórias na literatura?

Sim! As reflexões devem levar em consideração alguns aspectos: quem é o autor e qual sua inserção nas séries literárias nacional e mundial; quem é o público-alvo do texto que está sendo traduzido; de que maneira se estruturam o texto a ser traduzido, como pretendo traduzi-lo etc.

Quando o assunto é tradução, muito se fala sobre “fidelidade” do tradutor. O que você pode falar sobre isso?

Eu evito o uso desse conceito nas minhas aulas e nas discussões sobre tradução, já que acredito que não existe “fidelidade” em tradução, uma vez que não existe “fidelidade parcial”. Não faz sentido dizer que um texto é “razoavelmente fiel”, assim como não faz sentido dizer que uma mulher, por exemplo, está “razoavelmente grávida”. O tradutor deve procurar fazer uma leitura atenta e conscienciosa do texto a ser traduzido, buscando uma reescritura que possa vir a ser aceita pela comunidade de leitores à qual ele se destina.